Arquivo mensal: maio 2016

Die Haftpflichtversicherung

Padrão

O acidente pelo qual passei, e que teve como consequência o rompimento do tendão do pé esquerdo, foi na casa de um amigo, como contei no post “Die Treppen – eine komplizierte Beziehung”. Até aquele momento eu nunca tinha ouvido falar na palavra Bänderriss e muito menos Haftpflichtversicherung. O significado de Bänderriss eu senti na pele, aliás, no tendão (como doeu!). Mas conhecer o significado de Haftpflichtversicherung foi motivo de muita alegria para mim naquele momento em que eu estava sem trabalho.

O Haftpflichtversicherung é um seguro que os alemães pagam para cobrir os gastos causados por acidentes que eles causem a terceiros. Por exemplo, meu filho quebra a janela do vizinho, esse seguro paga os gastos;  minha filha risca o carro de alguém, o seguro paga; se derrubo um copo de vinho tinto no tapete da casa de alguém, o seguro paga. No meu caso, caí da escada na casa de um amigo, e isso o responsabilizou pelo acidente. Eu diria que, depois do Krankenversicherung (que é obrigatório para todos os que morem lá, alemães ou estrangeiros), esse é um dos seguros mais importantes para os alemães (que, diga-se de passagem, adoram seguros de todos os tipos).

Enfim, demos, meu amigo e eu, entrada no processo de ressarcimento. Formulários, relatórios etc preenchidos, documentação pronta, enviamos tudo para o seguro. Alguns meses depois, recebi DM 2000,–, o valor exato, naquela época, para a compra de uma passagem para o Brasil. Seria meu primeiro retorno para casa em dois anos de Alemanha …

haftpflicht

Die Stadtnamen

Padrão

Aí a gente chega na Alemanha e vê/lê/ouve aquela tonelada de palavras não vistas/lidas/ouvidas em nenhuma das aulas que a gente teve. Que desamparo linguístico!

Tudo bem. A gente respira fundo e aos poucos vai pelo menos tentando conseguir distinguir o que é substantivo, o que parece ser uma preposição (só que aí ela pára no vácuo, porque é o prefixo daquele verbo láááá do começo da frase, que você obviamente já esqueceu), o que só pode ser verbo …

“Ah, aquela deve ser uma palavra importante, todo mundo fala!” … corre pro dicionário e … não tem! 😦

Mas, além de todo aquele vocabulário imenso no qual a gente está mergulhada, ainda vem aqueles nomes  impronunciáveis (sobrenomes, por exemplo) e … nomes de cidades! Esses sim causam um estrago neuro-psico-traumático enorme, ainda mais se são idênticos a verbos no infinitivo!

Dá uma olhada nesse mapa cheinho de cidades-verbos-no-infinitivo. É demais!

staedtenamen-verben

http://www.zeit.de/zeit-magazin/2014/52/staedtenamen-verben-deutschlandkarte