Die Aufenthaltserlaubnis

Padrão

Lembram do último capítulo da minha novela? Então, a partir daquele incidente em Heidelberg eu precisava ir à prefeitura de Owingen para regularizar a minha situação na Alemanha, já que não tinha visto.

Fui com aquela amiga de Owingen ao depto. que cuida da situação dos estrangeiros da prefeitura de Owingen, onde o funcionário foi muito gentil conosco. Depois de me fazer várias perguntas, ele me disse: “Veja bem, minha senhora, o correto seria mandá-la de volta ao Brasil para que lá fosse dada a entrada no visto. Porém, como está me dizendo que quer muito estudar aqui, faremos o seguinte: Eu lhe darei um visto temporário de aproximadamente 7 meses, que é o tempo que falta para a realização da prova de alemão para ingressar na universidade. Caso a senhora passe na prova, muito bem, basta se matricular na faculdade e regularizar a sua situação, ou seja, obter um novo visto de permanência, desta vez como estudante (renovável todo ano a partir da apresentação do comprovante de matrícula). Caso não passe na prova, terá que retornar ao Brasil, e, de lá, solicitar um visto.”

Uau! Eu ainda tinha uma chance! E mais um desafio pela frente.

Bem, eu já tinha tido a sorte de encontrar uma república para morar em Tübingen, assim como um trabalho num restaurante italiano, que ficava embaixo do prédio da república. Tudo isso através daquele professor que conheci quando visitei a cidade. Um visto temporário e a oportunidade de entrar na faculdade e regularizar minha situação também. Então, mãos à obra!

Acertei as datas da mudança e do início do trabalho no restaurante. Tudo organizado, era hora de partir para um novo mundo que me esperava em Tübingen, uma cidade universitária de 70 mil habitantes na época, e aquela que teria para sempre um lugar especial no meu coração. Mal sabia eu quanta coisa bacana me aconteceria, quanta gente legal eu conheceria, quanto eu aprenderia lá …

P1000686PS: Meu primeiro visto na Alemanha!

Anúncios

Sobre frausantana

Professora de alemão há 20 anos, apaixonada pela língua alemã, pelo país, pelo povo ... pelos pães, pelos bolos ... Formada em Letras pela UNICAMP, licenciada em Alemão pela UFPR, estudou língua e literatura alemãs na Universidade de Tübingen e Tradução na Universidade de Heidelberg. GDS pelo Instituto Goethe.

»

  1. Aufenthaltserlaubnis… ~tentando escrever sem olhar~ Esse mundo de letras e consoantes é para dizer “visto”? Só consegui ler direito na quarta tentativa! Hahahha
    Also, como o funcionário da prefeitura foi querido com você. Qualquer outro poderia ter mandado te deportar sem choro nem vela nem nada.
    Bom que vc pelo menos já tinha onde ficar e onde trabalhar, então tinha uma certa “segurança”… Eu só imagino como seria a situação, e como vejo, aqui mesmo onde moro, o povo que chega com uma mão abanando na frente e outra atrás, sem conhecer nada nem ninguém, perdido no mundo e só com a vontade de estudar (ou nem tanto) pra se virar.
    Esperando o próximo capítulo!
    Küsse! ^^

    Curtir

    • Demais essa palavra, né? Por isso adoro essa língua! Pois é, tive sorte nesse capítulo … na verdade, a sorte me acompanhou todo o tempo que estive lá (o que não quer dizer que não aconteceu nada desagradável … aguarde que virão outras experiências!). O funcionário realmente foi muito gentil comigo, e outras pessoas que conheci por lá também. E eu realmente tinha uma vontade enorme de ficar lá, fiz tudo que podia pra não perder a oportunidade!
      Inté o próximo capítulo!
      LG

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s