Arquivo mensal: setembro 2013

Der Weg

Padrão

Qual caminho pegar? Para onde ir? Como chegar lá?

No post “Keine Rückkehr nach Brasilien” comentei sobre o meu desejo, naquele momento, de voar mais um pouquinho. O voo mais longo já tinha sido percorrido do Brasil para a Alemanha. Mas havia, então, chegado a hora de alçar voo dentro da Alemanha, a fim de conseguir atingir os meus objetivos, que, no fundo, no fundo, se baseavam exclusivamente em crescimento pessoal: aprender, aprender, aprender.

Escolhi duas cidades próximas para tentar começar uma nova fase: Stuttgart e Tübingen. Pedi para uma pessoa de Owingen me levar a uma estação de trem. De lá fui para Stuttgart, e deixei um anúncio num jornal me oferecendo de babá. As pessoas que me ligaram infelizmente tinham em mente vários clichês sobre brasileiras (nem vou citar aqui, porque foram todos bem desagradáveis). Uma delas era séria e pedia ajuda para cuidar de uma criança com alguns problemas específicos, mas eu não me julguei capaz de cuidar dela de jeito nenhum.

Num outro dia fui para Tübingen, uma cidade universitária onde, por acaso (será?), conheci (enquanto lia os anúncios de um quadro de avisos) um professor da Universidade de Tübingen, que me deu o primeiro empurrão. Nesse dia ele me mostrou a cidade, a universidade, e me orientou com relação a moradia, custos, trabalho etc.

Através desse professor consegui encontrar uma república para morar e um trabalho numa pizzaria.

Pronto. Logo começaria uma nova fase. E numa cidade maravilhosa, da qual só tenho lembranças muito especiais.

dois caminhos

den richtigen weg einschlagen

weg ziel

Der Rotwein

Padrão

Foi com vinho tinto que vivenciei o meu primeiro pileque!

Eis que um dia fui convidada a uma reunião de amigos em Owingen. Lá fui eu. Todos adultos, muitos já casados e tal. Chegando na casa, Menschenskind! Quanta comida naquela mesa!

Na ja, fomos entrando (uma amiga e eu), fui sendo apresentada, até que me sentei perto de um grupo. Tentamos conversar um pouco, eu me esforçando ao máximo pra entender aquela pronúncia misturado com o dialeto … ufa, que difícil … mas deu pra bater um papinho.

Foi durante esse papinho que me serviram vinho tinto. Embora eu tenha tentado dizer desesperadamente que não bebia, parece que não me expressei bem. Encheram a taça. Bom, então tá, né? Vou dar uma bicadinha só por educação.

Aí foram mais umas bicadinhas (não tinha nada pra fazer mesmo, né?), o povo completando a taça e eu cada vez me esforçando mais pra falar que não queria, “Danke!”, gente, mas cada vez mais ficava complicado me expressar … acho que em qualquer língua, nessa altura …

O olhinho já tava quase fechando, quando consegui pedir para a minha amiga me levar embora. “Ok, ich fahre dich nach Hause” (acho que foi isso que ela disse), mas, quando me levantei, só consegui dar uns 3 passos … e caí!

Liebe Leser, se vocês soubessem o ataque de riso que me deu naquela hora! Era só isso que eu conseguia fazer, rir, gargalhar!

Agora tentem descobrir como a história terminou …

rotwein 1

Die Wahlen

Padrão

Dia de eleições na Alemanha!

http://www.dw.de/alem%C3%A3es-consagram-merkel-nas-urnas/a-17105668

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2013/09/1345812-oposicao-reconhece-nova-vitoria-de-angela-merkel-na-alemanha.shtml

http://www.focus.de/politik/deutschland/bundestagswahl-2013/

http://www.zeit.de/politik/deutschland/2013-09/bundestagswahl-2013-live

wahlen

Das Oktoberfest

Padrão

Hoje começa a Oktoberfest em Munique, que se extende até o dia 6 de outubro. Muito legal a experiência de entrar na Hofbräuhaus München, a mais famosa da Alemanha, apesar de não ter sido durante a Oktoberfest que estive lá. O lugar impressiona! Pelo tamanho, pela quantidade pessoas, pela destreza das garçonetes, pela quantidade de cerveja consumida … juro que bebi pouco (não consegui dar conta nem da primeira “canequinha”).

Em tempo: não é só cerveja que tem lá! Muitos pratos típicos são servidos também.

http://www.dw.de/anima%C3%A7%C3%A3o-regada-a-muita-cerveja-em-munique/a-17104520

http://www.dw.de/hofbr%C3%A4uhaus-de-munique-400-anos-de-cerveja/a-2680048

oktoberfest musiker

oktoberfest garçonete

oktoberfest drinnen

oktoberfest comida 1

oktoberfest comida 3

oktoberfest comida 2

Der Herbst kommt …

Padrão

Outono chegando … na Alemanha! Enquanto aqui começa a primavera, lá se inicia o outono.

Der Herbst é a minha estação do ano predileta. Einfach wunderschön! As folhas mudando de cor, paisagens coloridas, friozinho começando … Mensch, como eu adorava essa época!

Mas … também era o tempo de começar a usar meias-calças mais grossas, tirar os cachecóis do guarda-roupa, se agasalhar bem. Pra quem sente tanto frio como eu, era o início de uma fase de aproximadamente 7 meses usando roupas pesadas e botas. Que eu adorava! Porque, ao mesmo tempo que ia esfriando cada vez mais lá fora, dentro dos lugares, das casas, os ambientes iam ficando cada vez mais aconchegantes, as pessoas mais próximas, encontros para um chá, reunião com amigos, enfim, tantos momentos de aconchego junto a pessoas queridas.

E os passeios, as caminhadas pelos bosques? Acompanhada de mim mesma ou de amigos, era sempre uma experiência muito especial. Um encontro com a natureza, com o silêncio, com o ruído dos esquilos correndo, com o som dos estalos das folhas pisadas … aliás, eu costumava catar as folhas caídas do chão e guardá-las no meio dos meus livros.

Saudade dos outonos que passei lá …

der herbst ist da

herbst árvores coloridas

herbst caminho

herbst folhas no chao

herbst folhas coloridas

Ich drücke dir die Daumen!

Padrão

Vamos torcer por alguém? Vamos! Como eu faria isso com um gesto alemão? Bom, o gesto brasileiro que eu conhecia era a figa, mas quando tentei fazer isso, me olharam estranho … parece que tem um significado não muito “decente” pra eles.

Na ja, os gestos não são universais, como eu pensava. Eles possuem características culturais determinantes, e sobre isso vou comentar várias vezes aqui. Passei por “estranhamentos gestuais” várias vezes!

Então, mas voltando à figa, foi numa determinada ocasião que aprendi a expressão do título da postagem, seguida do gesto que você vê logo abaixo.

Hum, parecia tão esquisito fazer esse gesto! Mas como sempre dava certo, ou seja, eu era compreendida, me acostumei rapidinho!

ich drücke dir die daumen

Italienisch?

Padrão

Aí a gente fica ouvindo, ouvindo e ouvindo, prestando “aquela” atenção, ávida por entender alguma palavra, quem sabe até uma frasezinha … em alguns casos, a gente nem consegue perceber quantas palavras foram ditas. Tudo soa com um grupo de letras (mais consoantes do que vogais, diga-se de passagem) amontoadas. O je, “Deutsche Sprache, schwere Sprache”, lembram?

Numa dessas ocasiões, ouço várias pessoas usando as palavras “je …, desto …”. Eu só conhecia as palavras que eram ditas entre essas duas aí. Por exemplo, “Je früher, desto besser.” (“früher” e “besser” eram conhecidas; eu já conseguia perceber que se tratava do comparativo). “Je” eu já conhecia de algum lugar, mas “desto”? Só pode ser uma palavra italiana infiltrada no alemão. Só pode! “Desto”, “Tedesco”, “questo” … italiano, com certeza!

Aber nein! Era alemão mesmo! Com o tempo fui deduzindo o significado, até chegar, por exemplo, na tradução do “Je früher, desto besser” (“Quanto mais cedo, melhor”). Dio mio!

je früher desto besser