du/Sie

Padrão

Certo dia fui convidada (“einladen” – convidar, lembram?) por uma família alemã a almoçar num restaurante. Oba! Vamos lá conhecer um restaurante à la carte!  Chegamos, lemos o cardápio (no meu caso, me limitei a tentar apenas decifrá-lo) e tal, pedido feito, bate-papo (na medida do possível), até chegar o peixe que eu tinha pedido.

Eis que a garçonete me pergunta alguma coisa, que eu não conseguia entender. Pacientemente uma pessoa da família me explicou que ela estava me perguntando se eu queria que ela separasse as espinhas do peixe, ou se eu mesma preferia fazer isso. Aí foi que eu lhe respondi (à garçonete): “Du!”.

(Silêncio)

Isso mesmo. As pessoas da mesa emudeceram! Fiquei me perguntando o que teria acontecido pra todo mundo se calar tão de repente (inclusive as crianças, que eram bem falantes). “Oh, mein Gott! Was habe ich denn jetzt falsch gemacht?”. Quando a garçonete terminou com o peixe, a mesma pessoa que havia traduzido a pergunta dela pra mim, me explicou que eu não poderia ter tratado a garçonete de “du”, pois usar esse pronome de tratamento com ela estava totalmente fora do contexto. Era desrespeitoso!  Aber warum?

Nós, brasileiros, usamos comumente o pronome “você”, sem que isso mostre desrespeito. “O senhor” ou “a senhora” se tornam cada vez mais raros, já repararam? No alemão isso difere um pouco:

–> O pronome de tratamento du é usado para crianças, amigos (amigos mesmo, pessoas bem próximas) e entre familiares.

–> O pronome Sie (sempre escrito com letra maiúscula, mesmo no meio de uma frase) é usado entre adultos, conhecidos (apenas conhecidos, não amigos) e com estranhos.

Bem, final da história: chamamos a garçonete e lhe pedi desculpas. “Entschuldigen Sie, bitte!”

du Sie

Anúncios

Sobre frausantana

Professora de alemão há 20 anos, apaixonada pela língua alemã, pelo país, pelo povo ... pelos pães, pelos bolos ... Formada em Letras pela UNICAMP, licenciada em Alemão pela UFPR, estudou língua e literatura alemãs na Universidade de Tübingen e Tradução na Universidade de Heidelberg. GDS pelo Instituto Goethe.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s